Ativistas protestam contra ação no STF que ameaça candomblé

Cerca de 100 pessoas ligadas à cultura de matriz africana, principalmente ao candomblé, fizeram um protesto quarta à tarde (8), na Cinelândia, centro do Rio, contra a ação do Ministério Público do Rio Grande do Sul, que será julgada hoje (9) no Supremo Tribunal Federal (STF), proibindo o abate de animais nos rituais de oferendas aos orixás.

De acordo com a ialorixá Leila Valentina, “muita gente nossa ainda convive no formato cultural de nossos avós, e como estes, também cultuamos a maneira de criar galinhas no quintal”, explicou.

O protesto contra o MP gaúcho foi feito ao som dos atabaques, cantigas e palavras de ordem. Segundo Alessandra D’Obá, a ação do Ministério Público “é preconceituosa e racista” e atenta diretamente contra as atividades culturais religiosas de matriz africana, diz o Terra.

“Se houvesse seriedade nessa ação, certamente esse cuidado deveria ser iniciado em muitos dos pequenos e grande matadouros que, sem o mínimo de higiene, orações de agradecimento, etc., promovem carnificinas para visão humana, isso sem falar da carne que vai para as mesas de todo mundo, após comercialização nos supermercados”, afirmou.

09/08/2018

(Visited 10 times, 1 visits today)